Como votar nas próximas eleições

As Eleições 2022 se aproximam e resta-nos como eleitores escolher quem presidirá o Brasil pelos próximos quatro anos. Mas não é só isso. Governadores, deputados estaduais, senadores e deputados federais também deverão ser escolhidos pelo eleitorado brasileiro.

O momento é importantíssimo para o futuro do país, mais ainda que nos anos anteriores quando não havia essa polaridade latente na política e a troca instantânea de informações nem sempre verdadeiras.

Talvez por isso, muitos eleitores não acreditam ser possível mudar a recente história política do país e insistem na ideia de que nada mudará com seus votos, o que é um enorme engano.

Desde as coisas que parecem insignificantes do nosso cotidiano até o funcionamento da UTI de um hospital público, por exemplo, são reflexos de decisões políticas, ou seja, tomadas por aqueles que foram eleitos por nós em algum momento.

É preciso que entendamos que o Brasil é uma República Federativa e que se constitui em Estado democrático de direito no qual “todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente” (art. 1º, parágrafo único, da Constituição Federal de 1988).

Isso quer dizer que é por praticar a democracia que o cidadão exerce a soberania popular, que se concretiza pelo voto direto e secreto na escolha dos governantes.

Por isso mesmo é imperativo que tenhamos em mente que aqueles que comandam o país são políticos, desde o menor município até a República, e eles só têm esse poder por terem sido eleitos por nós.

  • Não votar é abrir mão das mudanças que você acredita que são necessárias.
  • Votar em branco ou nulo também são formas de deixar nas mãos de outras pessoas a escolha do destino político de onde você reside.
  • Votar como forma de protesto, ainda que não seja ilegal, também é uma forma de deixar passar a oportunidade de proporcionar as mudanças necessárias ao país.

A maneira mais inteligente e eficiente de votar é com responsabilidade.

O eleitor precisa considerar que o seu voto fará a diferença no resultado final e se ele deseja o melhor para o seu estado e país, votar com consciência é a única opção.

Sabemos, porém, que nem sempre é simples escolher em quem votar, às vezes chega a ser impossível escolher entre dois candidatos que foram para o segundo turno. O que fazer em casos assim você saberá nas próximos publicações.

Projeto Novo Eleitor é uma iniciativa do Instituto OPS. 
Ajude a manter o nosso trabalho. Doe.

Para não perdê-las, assine nossa newsletter. É simples, rápido e de graça.

Junte-se a 16.796 outros seguidores

Publicado por Lúcio Big

Diretor-presidente do Instituto OPS, ativista digital, jornalista, vlogueiro e nas horas vagas, músico .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: